Manuel Serrão deixa conselho a Cristiano Ronaldo sobre o Facebook

0

O conhecido jornalista portuense, Manuel Serrão, escreveu um artigo no jornal de noticias sobre a mais recente polémica que envolve a festa de anos de Cristiano Ronaldo e que tanto está a dar que falar no país vizinho. Para Manuel Serrão, o craque português devia evitar ao máximo o uso desta rede social.

“Devo confessar que tenho uma aversão particular ao uso privado das chamadas redes sociais, máxime o Facebook.

Quase todos os dias sou convidado por gente certamente bem-intencionada, para aderir a essas coisas e mesmo quando se trata do Linkedin, que reconheço ter um perfil mais “business”, a todos agradeço o convite mas recuso, reafirmando que fico na mesma à disposição e online no mail que conhecem e no telemóvel que disponibilizo na mesma resposta.

Daí que quando vejo alguém embaraçado ou prejudicado por ter sido “apanhado” nestas redes, não seja de estranhar que tenha uma sensação de conforto extra por ainda não ter decidido aderir a esta moda. Sendo certo que quando esses embaraços ou prejuízos são do nível daquilo que está a acontecer com o rescaldo da festa de anos de Cristiano Ronaldo, ainda saia mais reforçada esta minha convicção que as redes sociais são excelentes e indispensáveis para uso profissional, mas verdadeiramente desaconselháveis e dispensáveis em termos de vida pessoal.

Os meus amigos que não concordam comigo (e não mentirei se disser que são a grande maioria) alegam que até no Facebook há políticas de privacidade que podem atenuar muito os meus receios, mas acontece que em termos de privacidade pessoal ninguém me consegue convencer que a regra é “menos que a tolerância zero”. Em cada atenuante, só vejo a agravante da ilusão que constitui.

No caso do nosso melhor futebolista de sempre, representado pelo nosso melhor empresário desportivo também de sempre, a ingenuidade é surpreendente e chega até a ser comovente, quando a desculpa para não terem adiado a festa de anos depois do “banho” que o Real Madrid levou no Vicente Calderón, tem a ver com a vontade de não desiludir várias dezenas de criancinhas convidadas.

Convocar a festa para o dia do jogo já foi uma decisão no mínimo arriscada e arrogante. Mantê-la depois do sucedido, foi uma decisão no mínimo arriscada e imprudente. Não ter tomado as medidas necessárias para precaver a sua difusão nas redes sociais, foi uma decisão incompreensível e indesculpável para gente que atingiu um grau de profissionalismo em que estas ingenuidades já não são consentidas.

Tenho um amigo que também festejou os anos num dia destes e informou os amigos que convidou que tinha um serviço de telelé sitter à entrada, para aqueles que não conseguissem ou não pudessem (?) deixar o telemóvel em casa . Aqui fica a sugestão, gratuita, para quando o melhor jogador do Mundo e o melhor empresário do Mundo sentirem necessidade de fazer festas em dias inconvenientes.”

Share.
21